Vacinação

vaccine.jpg

Na USF Descobertas vacinamos os nossos utentes de acordo com o Programa Nacional de Vacinação (PNV) em vigor da Direção Geral da Saúde.

Enquanto algumas vacinas necessitam de uma única dose para garantir imunização para toda a vida, outras necessitam de várias doses para serem plenamente eficazes, como é o caso da vacina contra o tétano.

Uma vacina é a administração de uma substância que estimula o sistema imunitário a desenvolver anticorpos contra determinados microorganismos que causam doenças infeciosas. A imunização adquirida pela vacina previne ou atenua os efeitos de uma eventual infeção por esses microorganismos. Quando uma grande percentagem da população é vacinada, desenvolve-se imunidade de grupo.

A vacinação é o método mais eficaz na prevenção de doenças, tornando possível a sua erradicação, eliminação ou controle e protege as pessoas de sofrimento e de morte. Permite salvar mais vidas e prevenir mais casos de doença do que qualquer tratamento médico, melhora o bem-estar dos povos e contribui para a eficiência e sustentabilidade dos serviços de saúde.

A sua eficácia e segurança encontra-se amplamente estudada e comprovada. Os efeitos adversos das vacinas são geralmente ligeiros e incluem febre, dor muscular e dor no local de injeção. Os efeitos adversos graves são extremamente raros.

 

O progresso da investigação científica e da tecnologia vão colocando à disposição da humanidade melhores vacinas e contra mais doenças. Atualmente existem outras vacinas não contempladas no PNV que podem ser recomendadas pelo seu médico ou enfermeiro.

VACINA DA GRIPE

A gripe é uma doença aguda viral que afeta principalmente as vias respiratórias. Ocorre sobretudo nos meses de inverno - em Portugal tem-se verificado que a maior atividade gripal ocorre entre dezembro e fevereiro.

A vacina contra a gripe diminui muito o risco de contrair a infeção. Se a pessoa for infetada e vacinada terá um menor risco de desenvolver complicações. Esta vacina NÃO confere proteção a longo prazo porque o vírus muda constantemente, pelo que a vacina é diferente todos os anos.

A vacina NÃO pode provocar gripe pois não contém vírus vivos; o que pode suceder é as pessoas vacinadas contrairem outras infeções respiratórias virais para as quais não há vacina.

A vacinação deve ser feita até ao final de cada ano, mas pode decorrer durante todo o outono e inverno conforme a campanha nacional de vacinação.

A vacina está indicada nas seguintes situações:

  • pessoas com 65 anos ou mais;

  • pessoas com doenças crónicas dos pulmões, do coração, dos rins ou do fígado;

  • diabéticos em tratamento;

  • grávidas;

  • outras doenças que diminuam a resistência às infeções;

  • profissionais do Serviço Nacional de Saúde (SNS);

  • bombeiros com atividade assistencial;

  • residentes em instituições ou pessoas internadas em unidades do SNS;

  • guardas prisionais e reclusos.

Vacine-se na USF Descobertas SEM  declaração médica se:

  • tem idade 65 anos ou mais;

  • tem diabetes mellitus;

  • realiza terapêutica de substituição renal crónica (diálise);

  • tem trissomia 21;

  • realizou a transplante de células precursoras hematopiéticas ou de órgãos sólidos.

Vacine-se na USF Descobertas COM  declaração médica se:

  • aguarda transplante de células precursoras hematopoiéticas ou de órgãos sólidos;

  • está sob tratamento de quimioterapia;

  • tem fibrose quística;

  • tem défice de alfa-1 antitripsina sob terapêutica de substituição;

  • tem patologia do interstício pulmonar sob terapêutica imunossupressora;

  • tem doença crónica com comprometimento da função respiratória, da eliminação de secreções ou com risco aumentado de aspiração de secreções;

  • tem doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC).

Não sabe do seu boletim de vacinas? Saiba o que fazer!

Tenha a sua vacinação e a da sua família em dia. Informe-se na USF Descobertas e consulte a Área do Cidadão do Portal SNS, através dos seguintes passos:

  1. Autenticação através do Portal SNS em https://www.sns.gov.pt/cidadao/

  2. Entre no portal do Serviço Nacional de Saúde e aceda à “Área do Cidadão” presente no início da página;

  3. Se ainda não estiver registado, registe-se;

  4. Aceda à área “Boletim de Vacinas” e consulte a tabela e a legenda para identificar se tem vacinas em atraso.

Se pretende esclarecer dúvidas sobre a vacinação e/ou atualizar o seu Boletim de Vacinas, entre em contacto connosco presencialmente, via telefone ou email.