Notícias

Proteja-se do Sol

Joana Ressurreição

De acordo com vários estudos, o número de casos de cancro da pele tem vindo a aumentar, não só devido ao envelhecimento da população como também a uma exposição desprotegida ao sol. A percentagem de sobrevivência se detetado atempadamente é excelente. Assim se compreende a importância da prevenção e da deteção precoce.

Os principais fatores de risco para cancro de pele são:

  • Pele clara;

  • Exposição solar sem proteção, tanto em lazer como em trabalho;

  • História de queimaduras solares, especialmente na infância;

  • Uso de solário;

  • Ter mais de 50 “sinais” no corpo;

  • Ter história familiar de cancro da pele;

  • Ter mais de 50 anos de idade.

Fonte: Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo

A regra ABCDE é uma forma útil de avaliar os seus «sinais». Consiste numa mnemónica em que “A” diz respeito à assimetria de um sinal, “B” ao bordo irregular, “C” à existência de várias cores (castanho claro, castanho escuro,

negro, vermelho), “D” ao diâmetro (>5mm) e “E” à evolução, ou seja, modificação das características do sinal.

 

Quais são então as principais medidas e atitudes que deve adotar para poder usufruir em segurança da exposição solar?

  • Procurar a sombra nas horas de maior calor: entre as 11h e as 16h;

  • Não apanhar escaldões, evitando o sol direto usando cremes de largo espectro de proteção contra UVA e UVB facto SPF 50, repetindo a aplicação no mínimo de 2 em 2h. Aplicar também 30min antes de sair de casa, nomeadamente antes de ir para a praia. Repetir com maior periodicidade se suar muito ou for a água, mesmo que sejam «resistentes à água»;

  • Evitar Solários;

  • Crianças com menos de 6 meses não devem ser expostas ao Sol;

  • Fazer o autoexame regularmente (mensalmente ou de 2 em 2 meses);

  • Se tiver fatores de risco, ter consulta anual em Dermatologia.

 

Se identificar algum  sinal suspeito ou tiver alguma dúvida, agende uma consulta com a sua equipa de saúde na USF Descobertas.

Usufrua do Sol em segurança!