top of page

Notícias

Tosse - seca ou produtiva?

Adriana Silva

Nesta altura do ano, em que as infeções respiratórias são um dos principais motivos de consulta de doença aguda e de ida ao serviço de urgência, a tosse é uma manifestação constante e é preciso clarificá-la.

 A tosse é um mecanismo reflexo ou de defesa que nos ajuda a eliminar agentes irritantes e infeções do nosso organismo, como muco ou fumo. Contudo, quando se torna persistente pode ser irritante, para nós e para os que nos rodeiam, afetando o sono, o trabalho e outras atividades do dia a dia.

A tosse não é sempre igual, pelo que devemos estar atentos às suas características:

  •  A tosse seca não produz qualquer tipo de fluido e, na maioria das vezes, desenvolve-se em resposta a uma irritação ou inflamação das vias aéreas. Asma, alergias, refluxo gastroesofágico, exposição a agentes irritantes (como pó ou fumo), alguns medicamentos podem ser causas de tosse seca. O seu tratamento consiste em tratar a causa, no entanto, algumas medidas podem ajudar no seu alívio como aumentar a ingestão de água, elevar a cabeceira da cama à noite, tomar um antialérgico. 

  • Por outro lado, a tosse produtiva ou tosse com expetoração, ocorre quando há produção de fluido ou muco nas vias respiratórias, devido sobretudo a doenças respiratórias crónicas, como asma ou DPOC, infeções respiratórias e tabagismo. O tratamento da tosse produtiva tem como objetivo expulsar o muco e "limpar" as vias aéreas. É por isso que se utilizam os expetorantes e mucolíticos, que fluidificam a expetoração, libertando-a com mais facilidade. 

 

Muitas vezes, de tão saturados de tossir constantemente, poderemos pensar que suprimir a tosse é a melhor solução. Contudo, reprimir a tosse e sobretudo a tosse produtiva pode levar à acumulação de muco e, consequentemente, podem surgir complicações como dificuldade respiratória e infeção.

E em que situações consultar um médico?

  • Quando a tosse (seca ou produtiva) tem mais de 2 semanas de evolução ou aparece sangue associado à tosse;

  • Se existir falta de ar, dor no peito ou cansaço;

  • Se perturbar o sono;

  • Se estiver associada a perda de peso ou febre e inchaço nas pernas, pés ou tornozelos.

bottom of page